yu58_Prisma by DukasUniversal Images Group via Getty Images_tax havens protest Prisma by Dukas/Universal Images Group via Getty Images

Paraísos fiscais estão sabotando os ODS

PEQUIM – Em 25 de setembro de 2015, chefes de estado e governos do mundo adotaram por unanimidade a Agenda para o Desenvolvimento Sustentável de 2030 – um extenso plano global para a construção de um mundo mais justo e mais sustentável. Porém, mais de cinco anos depois, o avanço rumo aos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da agenda ainda deixa muito a desejar.

Entre as maiores restrições para os países com dificuldade de cumprir os ODS está a falta de recursos financeiros. Mesmo antes da pandemia da covid-19, muitos países de baixa e média renda já davam sinais de desconforto com a dívida. Como eles lutam para cuidar ao mesmo tempo de crises econômicas e de saúde pública, a mobilização de recursos financeiros para o desenvolvimento sustentável é uma proposta ainda mais difícil.

Sem dúvida, há modos de conseguir recursos. Os países podem aumentar as economias internas e atrair investimento exterior, além de buscar auxílio para seu desenvolvimento junto aos países ricos, organizações internacionais e bancos multilaterais de desenvolvimento. Mas falar é mais fácil que fazer – especialmente num mundo em que prosperam os fluxos financeiros ilícitos.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading and receive unfettered access to all content, subscribe now.

Subscribe

or

Unlock additional commentaries for FREE by registering.

Register

https://prosyn.org/ilzJXB5pt