Chegar ao Sim com Putin

PARIS – No confronto com a Rússia sobre a Ucrânia, as fraquezas e divisões da política europeia foram tão encorajadoras para o Presidente russo, Vladimir Putin, quanto foi a para a Síria a abordagem indecisa dos EUA. Se a Europa pretende agir de forma responsável, três conceitos-chave deverão definir a sua política em relação à Rússia: firmeza, clareza, e vontade de encontrar um compromisso aceitável.

Sem firmeza, nada é possível. É certo que a Europa e os EUA cometeram erros no período que se seguiu ao colapso da União Soviética. Os EUA, em especial, podem ser acusados de agir de forma arrogante e de humilhar desnecessariamente a Rússia. Mas o desaparecimento da União Soviética foi o resultado de uma longa sequência de erros, começando pela incapacidade da Rússia pré-soviética em harmonizar-se com a modernidade. Os líderes russos pós-soviéticos ainda não abordaram estas lacunas.

Ao adoptar uma posição agressiva e revisionista, Putin cometeu um erro histórico e estratégico. O modelo de Putin deveria ter sido Pedro, o Grande. Deveria ter tido a ambição de vincular o futuro da Rússia ao da Europa. Em vez disso, Putin procurou inspiração em Nicolau I, o mais reaccionário dos czares da Rússia do século XIX.

To continue reading, please log in or enter your email address.

Registration is quick and easy and requires only your email address. If you already have an account with us, please log in. Or subscribe now for unlimited access.

required

Log in

http://prosyn.org/AQozJcQ/pt;