3

Transformar a sorte da economia em azar

CAMBRIDGE, MA – Muitas vezes, é difícil perceber como é que os países que têm uma boa situação económica conseguem estragar tudo. É como se eles estivessem a tentar cometer suicídio ao saltarem do pavimento mais baixo de uma casa.

Dois dos casos mais extremos (mas não os únicos) são a Argentina e a Venezuela, países que beneficiaram dos preços elevados nas suas exportações, mas que não encontraram a auto-estrada para a prosperidade, virando numa rua sem saída. Eles acabarão por ter de fazer inversão de marcha e voltar atrás para o terreno do progresso fictício.

O intrigante é que esta não é a primeira vez que um país muda de rumo, em direcção a um beco sem saída económico. Alguém disse que apenas os cabeleireiros aprendem pela cabeça das outras pessoas, mas alguns países parecem incapazes de aprender mesmo a partir das suas próprias experiências. O derradeiro motivo para tal auto-destruição pode ser impossível de identificar. Mas é certamente possível descrever como é que a estrada para o inferno está pavimentada, quaisquer que sejam as intenções.

Tudo começa quando algum desequilíbrio faz com que a inflação global ou algum preço chave - geralmente o da taxa de câmbio, mas também o da energia, da água e da gasolina - se submeta a uma pressão ascendente. O governo, então, usa o seu poder de coerção para manter uma tampa no crescimento dos preços.