Skip to main content

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated Cookie policy, Privacy policy and Terms & Conditions

borchardt7_getty images_media Getty Images

O que há de errado com as notícias?

OXFORD – O público britânico está sequioso de notícias sobre o Brexit – pelo menos, é o que dizem as análises de dados das plataformas noticiosas. Mas, segundo o último Digital News Report do Instituto Reuters, 71% do público britânico tenta evitar a cobertura mediática da iminente saída do Reino Unido da União Europeia. Esta disparidade, que pode ser vista numa vasto conjunto de áreas, suscita graves questões sobre a abordagem, cada vez mais centrada nos dados, das organizações noticiosas à comunicação.

A ascensão da análise de dados fez com que os jornalistas e os seus editores confiassem em que sabem o que as pessoas querem. E por bons motivos: com uma grande parte das notícias a serem consumidas na Internet, as plataformas de difusão sabem exactamente quais as histórias que são abertas pelos leitores, quanto estes lêem antes de se aborrecerem, o que partilham com os seus amigos e o tipo de conteúdos que os alicia a fazer uma assinatura.

Esses dados indicam, por exemplo, que o público está interessado em jornalismo de investigação notável, aconselhamento dietético e de finanças pessoais e artigos sobre relacionamentos e família. Prefere histórias com um toque pessoal – por exemplo, que descrevam a sorte de uma pessoa afectada – a relatórios de conflitos persistentes no Médio Oriente ou a coberturas da actividade municipal. E é atraído por histórias sensacionais – como os escândalos e artimanhas do presidente dos EUA, Donald Trump – com títulos de “clickbait”.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

Get unlimited access to PS premium content, including in-depth commentaries, book reviews, exclusive interviews, On Point, the Big Picture, the PS Archive, and our annual year-ahead magazine.

https://prosyn.org/7zyEFFfpt;
  1. pisaniferry106_Mark WilsonGetty Images_phase one agreement trump china  Mark Wilson/Getty Images

    Explaining the Triumph of Trump’s Economic Recklessness

    Jean Pisani-Ferry

    The Trump administration’s economic policy is a strange cocktail: one part populist trade protectionism and industrial interventionism; one part classic Republican tax cuts skewed to the rich and industry-friendly deregulation; and one part Keynesian fiscal and monetary stimulus. But it's the Keynesian part that delivers the kick.

    4
  2. yu49_ShengJiapengChinaNewsServiceVCGviaGettyImages_G20trumpjinpingshakehands Sheng Jiapeng/China News Service/VCG via Getty Images

    PS Say More: Keyu Jin

    Keyu Jin assesses the “phase one” US-China trade deal, questions whether the US can ever accept China’s development model, and highlights a key difference in how the Hong Kong protests are viewed inside and outside China.
    0