A Escolha de Putin

BRUXELAS - O regresso de Vladimir Putin ao Kremlin como presidente da Rússia foi sempre um facto consumado. Mas, quando tomar posse, no dia 7 de Maio, Putin vai retomar formalmente a seu cargo um país cuja política se tornou imprevisível, o próprio futuro político de Putin é imprevisível.

O regresso de Putin à presidência, após um período de controlo de facto como Primeiro-Ministro, deveria significar uma continuação reconfortante do "business as usual" - um estado forte, organizado sem os efeitos potencialmente desestabilizadores da democracia multipartidária e sem políticos conflituosos.

Em vez disso, o povo russo desafiou agora o status quo . A sua reação ao plano de Putin - aquando do comunicado em Setembro do ano passado de que o presidente Dmitri Medvedev não interviria pelo seu mentor para as eleições parlamentares e presidenciais profundamente anómalas - e o seu ressentimento acumulado relativamente ao forte enriquecimento dos amigos do Kremlin, têm pressionado Putin e o sistema de governo do topo para a base por ele criado.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To read this article from our archive, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles from our archive every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/loSNw6A/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.