Um Novo Mundo de Cuidados de Saúde

NOVA IORQUE – Os sistemas de saúde tradicionais estão com problemas. Na OCDE, as clínicas e hospitais dispendiosos dominam os serviços de saúde e são responsáveis por 97% das despesas com saúde nos Estados Unidos. Estes sistemas estão em dificuldades pelas restrições em matéria de custos, pela exigência pública de maior qualidade, e pelas expectativas exageradas.

Mas há um sistema diferente, amplamente praticado em países mais pobres que não conseguem custear hospitais ao estilo Ocidental, e centrado nos cuidados comunitários de saúde. Precisamos das duas abordagens; e precisamos que funcionem em conjunto. Na verdade, o fosso crescente entre a promessa e a realidade dos cuidados de saúde criou espaço – tanto nos países desenvolvidos como nos países em desenvolvimento – para novos actores, que estão mais preocupados com a conduta social que com a biologia.

No seu artigo seminal de 1996 na Harvard Business Review, W. Brian Arthur identificou as importantes distinções entre um sistema de saúde definido através do planeamento, da hierarquia, e do controlo, e um outro caracterizado pela observação, posicionamento, e organizações pouco hierarquizadas. O primeiro tipo de sistema, segundo ele, preocupa-se com materiais, processamento, e optimização. Está principalmente centrado no acesso aos cuidados médicos, e enfrenta normalmente rendimentos decrescentes.

To continue reading, please log in or enter your email address.

Registration is quick and easy and requires only your email address. If you already have an account with us, please log in. Or subscribe now for unlimited access.

required

Log in

http://prosyn.org/KrYO33Z/pt;