aahmed1_GORDWIN ODHIAMBOAFP via Getty Images_africacoronaviruswaterkenya Gordwin Odhiambo/AFP via Getty Images

Um compromisso por África

ADIS ABEBA – O mundo não estará livre da pandemia de COVID-19 até que todos os países estejam livres do coronavírus que a provoca. Este simples facto ressalta a necessidade urgente do evento Resposta global à Covid-19 - Conferência de Doadores, que será realizada no dia 4 de maio. Só se agirmos agora para apoiar a capacidade de os países em desenvolvimento combaterem a doença é que o mundo pode evitar uma segunda vaga do vírus neste outono.

Os líderes da União Africana acolhem com satisfação os kits de teste, ventiladores e equipamentos de proteção individual (EPI), que estão a ser oferecidos agora pelos países desenvolvidos. Mas, se quisermos inverter a maré contra a COVID-19, os países mais ricos do mundo devem escutar e responder aos apelos do mundo em desenvolvimento para uma estratégia abrangente que supere a dupla crise de saúde pública e económica que enfrentamos.

Até agora, tem havido uma enorme falta de ligação entre a retórica dos líderes dos países ricos – de que se trata de uma crise global existencial, que ocorre uma vez num século – e o apoio que parecem estar dispostos a dar aos países pobres e em desenvolvimento. De facto, até à semana passada, os países africanos estavam a gastar mais em pagamentos de dívidas do que em saúde.

To continue reading, register now.

Subscribe now for unlimited access to everything PS has to offer.

Subscribe

As a registered user, you can enjoy more PS content every month – for free.

Register

https://prosyn.org/VZb6qLKpt