O sabor amargo do açúcar

PRINCETON – O açúcar é doce, mas a ética em torno da sua produção é tudo menos apelativa. O relatório "Sugar Rush", recentemente divulgado pela Oxfam Internacional, no âmbito da campanha "Por Trás das Marcas", mostrou que o nosso consumo de açúcar nos compromete em processos de aquisição de terras que violam os direitos de algumas das comunidades mais pobres do mundo. Se houver mais informação e maior consciência ética da parte dos consumidaores, esta situação poderá ser alterada.

Estamos geneticamente programados para gostar de coisas doces e, quando o seu nível de vida se torna mais próspero, as pessoas consomem mais açúcar. O consequente aumento dos preços do açúcar levou os produtores a procurarem mais terras para o cultivo da cana-de-açúcar.

Não é surpresa o facto de os pobres saírem prejudicados quando os seus interesses entram em conflito com os dos ricos e mais influentes. O relatório da Oxfam fornece vários exemplos de produtores que adquiriram terras sem o consentimento das pessoas que ali viviam, fazendo dos agricultores trabalhadores sem-terra. Eis um exemplo.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/8c9VNe4/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.