pakistan ecommerce ASIF HASSAN/AFP/Getty Images

A procura do Paquistão por um crescimento inclusivo

ISLAMABAD – No ano passado, o Paquistão testemunhou a segunda transição democrática bem-sucedida nos seus 71 anos de história, com o primeiro-ministro Imran Khan a assumir o poder após o seu partido vencer as eleições gerais com um slogan anticorrupção. As expectativas são altas com o novo governo, que parece disposto a trabalhar com os tecnocratas e os partidos da oposição para enfrentar os muitos desafios urgentes do Paquistão.

Mas o governo enfrenta uma agenda económica assustadora. Além de restaurar a estabilidade económica, também tem de desenvolver um plano ousado para um crescimento inclusivo e sustentável a longo prazo.

A situação atual não é muito encorajadora. As reservas cambiais caíram acentuadamente em 2018, à medida que as exportações estagnavam e as importações subiam rapidamente. Além do mais, o governo teve de pedir avultados empréstimos para financiar o crescente défice fiscal, causado em parte pelas perdas de empresas do setor público e empresas de energia. De forma não surpreendente, a rupia paquistanesa caiu e a inflação subiu. Com uma política monetária mais rígida e menores gastos com o desenvolvimento do setor público também a abrandarem a procura, prevê-se que o crescimento do PIB em 2019 caia abaixo dos 5%. Igualmente preocupantes são os pagamentos da dívida que vencem durante este ano fiscal.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

Get unlimited access to PS premium content, including in-depth commentaries, book reviews, exclusive interviews, On Point, the Big Picture, the PS Archive, and our annual year-ahead magazine.

http://prosyn.org/yN48GHC/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.