newborn John Wessels/AFP/Getty Images

As parteiras fazem nascer vidas

TORONTO – As últimas décadas trouxeram progressos incríveis para a saúde das mulheres e das crianças. Desde 1990, as mortes evitáveis de crianças diminuíram cerca de 50% e a mortalidade materna teve um decréscimo de cerca de 45%. Mas um número demasiado elevado de mães e recém-nascidos continua a morrer de causas evitáveis. Com acesso a parteiras qualificadas, muitas das suas vidas poderiam ser salvas.

Todos os anos, um milhão de crianças, em média, ainda morrem no seu primeiro dia de vida; mais de um milhão de bebés são nados-mortos; e mais de 300 mil mães morrem durante a gravidez e o parto – números da mortalidade que ultrapassam o número total de habitantes da Namíbia. A maioria destas mortes – 56%, mais precisamente – é evitável.

Se todas as mulheres tivessem acesso a uma parteira durante a gravidez e o trabalho de parto, já para não falar de instalações equipadas para prestar cuidados básicos de emergência, um milhão de vidas seriam salvas todos os anos. E, apesar disso, a obstetrícia ainda é cronicamente negligenciada e subfinanciada pelos governos e comunidades ao redor do mundo.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To continue reading, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you are agreeing to our Terms and Conditions.

Log in

http://prosyn.org/UfOTYKG/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.