0

Os melhores investimentos que podemos fazer

DUBAI – O desejo de fazer a diferença nasce de uma crença fundamental em algo superior a nós mesmos e da preocupação que todos temos pelo bem-estar dos nossos companheiros humanos.

Como mulher árabe, acho impossível relaxar e assistir – ou pior, virar as costas – enquanto zonas do Médio Oriente sofrem durante um momento tão difícil na já conturbada história da região. Milhões de inocentes foram deslocados das suas casas e outros tantos milhões estão a ser conduzidos para lá das fronteiras nacionais, rumo a um futuro incerto e instável. A sua necessidade de ajuda é clara.

Certamente, o máximo que podemos fazer será agir como indivíduos. Mas unindo-nos em torno de objetivos comuns, temos o poder de criar iniciativas eficazes e melhorar vidas. E eu sempre acreditei que a educação e o empreendedorismo social são duas áreas onde nós podemos ter o maior impacto sustentável, a longo prazo. Juntos, esses setores criam oportunidades em todos os níveis da sociedade, desde os refugiados que não têm possibilidade de completar os seus estudos, até aos profissionais que procuram fomentar as suas perspectivas de carreira ou explorar uma visão inovadora.

O conflito em curso na Síria tem levado um grande número de refugiados para os campos, que evoluíram de habitações temporárias para cidades improvisadas. Um excelente exemplo é o campo de refugiados de Za'atari, na Jordânia, que acolhe atualmente 80 mil residentes; mas campos semelhantes podem ser encontrados no Líbano e noutros países em redor da região. A migração forçada em massa não é apenas um desafio para os vizinhos mais próximos da Síria. Uma vez que os fluxos de refugiados transformaram uma crise local numa questão mundial, o tecido político, económico e social da Europa também tem sido testado.

Quando os refugiados são arrancados das suas vidas diárias, eles perdem a oportunidade de prosseguir com os estudos. Para resolver este problema, organizações como a Unite Lebanon Youth Project (ULYP) estão agora a identificar crianças dos campos de refugiados, que têm potencial para completar a sua educação formal e influenciar os que estão à sua volta. Com uma educação, estes jovens estarão melhor preparados para efetuar mudanças positivas nas suas comunidades, agora e no futuro.

A organização ULYP tem laços estreitos com instituições de prestígio, tais como a Universidade Americana de Beirute, que há muito tem sido considerada como uma incubadora para empresários bem-sucedidos na região. A ULYP, que apoio através do financiamento de bolsas de estudo anuais, reconhece que a educação não é a única solução nem é uma solução rápida. Nesse sentido, o projeto assume uma estratégia a longo prazo e faz investimentos em indivíduos que um dia poderão beneficiar comunidades maiores. Afinal de contas, é melhor ensinar as pessoas a pescar do que simplesmente alimentá-las.

Da mesma forma, depois de alguém ficar habilitado com o conhecimento e financiamento para iniciar a sua própria empresa, pode começar a pensar sobre o bem maior – altura em que o verdadeiro valor do empreendedorismo torna-se evidente. O empreendedorismo é alimentado por sonhos e aspirações, visões e ideias. E embora o apoio financeiro seja importante, não é o único ingrediente da receita para o sucesso. Os empresários também precisam de ter acesso a mentores talentosos e redes de apoio.

Foi com esta ideia em mente que me juntei ao conselho da Endeavor UAE, uma organização mundial dos Estados Unidos sem fins lucrativos que empodera empreendedores ao redor do mundo. Os beneficiários da Endeavour não são empresários vulgares, mas sim aqueles que têm potencial para se tornarem exemplos a seguir. Apoiamos indivíduos que possam inspirar os seus colegas e pares, e melhorar as suas comunidades.

Nem todo o empreendedor terá sucesso. Mas, dando apoio financeiro e acesso a uma rede global de mentores aos jovens e brilhantes líderes empresariais, podemos ajudá-los a realizar o seu potencial para transformarem as economias de países inteiros. Além disso, isso cria um círculo virtuoso, porque os empresários de hoje podem identificar os empreendedores de amanhã e fornecer-lhes o capital de que necessitam para mudar vidas no futuro.

Sempre acreditei que com o sucesso, vem a responsabilidade de pensar no mundo em geral. Em julho de 2015, voltei para minha alma mater, a London Business School (LBS), para lançar uma bolsa que apoiará estudantes nos programas de MBA e MBA Executivo. Da mesma forma que um refugiado palestino ou sírio pode completar os seus estudos através da organização ULYP, ou um jovem inovador pode receber orientação através da Endeavour, também espero que os estudantes da LBS fiquem habilitados para construir um futuro melhor para todos nós.

Vivemos numa economia global cada vez mais interligada e num planeta cada vez mais desigual e instável. O nosso objetivo não deveria ser apenas ganhar dinheiro, mas também fazer a diferença.