Skip to main content

Privacy Since Edward Snowden Edward Snowden/El Tiempo

A Privacidade Desde Snowden

LONDRES − Já passou um ano desde que Edward J. Snowden, antigo contratado Americano para a área da informação, começou as revelações sobre a vigilância em grande escala da Internet empreendida pela Agência para a Segurança Nacional (NSA) dos EUA. As suas revelações suscitaram a indignação pública e a pronta censura de alguns aliados próximos dos EUA como a Alemanha, subvertendo pressupostos cor-de-rosa sobre quão livres e seguras seriam realmente a Internet e as redes de telecomunicações. Sozinho, Snowden mudou o modo como as pessoas encaram os seus telefones, tablets, e computadores portáteis, e despertou o debate público sobre a protecção dos dados pessoais. Aquilo que as suas revelações não conseguiram foi provocar reformas significativas.

Na verdade, o Presidente dos EUA, Barack Obama, estimulado por uma aliança entre organizações da sociedade civil e a indústria tecnológica, tomou algumas medidas. Num discurso em Janeiro, e na directiva de política presidencial que o acompanhou, Obama ordenou aos espiões Americanos que reconhecessem que “todas as pessoas devem ser tratadas com dignidade e respeito, independentemente da sua nacionalidade ou de onde possam residir, e que todas as pessoas têm interesses legítimos de privacidade quanto ao tratamento da sua informação pessoal.”

Alguns avanços específicos, sem precedentes no mundo sombrio das agências de informação, acompanharam este compromisso retórico com a privacidade. Quando as empresas de tecnologia processaram o governo para disponibilizar detalhes sobre pedidos de informação, a administração Obama cedeu, apoiando um acordo que permite relatórios mais detalhados. Ao abrigo deste acordo, as empresas podem optar por publicar valores sobre pedidos de dados provindos de agências de informação em intervalos de 250 ou 1.000, dependendo do grau de desagregação dos tipos de ordens.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

Get unlimited access to PS premium content, including in-depth commentaries, book reviews, exclusive interviews, On Point, the Big Picture, the PS Archive, and our annual year-ahead magazine.

https://prosyn.org/QYQtXS7/pt;
  1. sierakowski47_Carsten KoallGetty Images_kyczynskiangryshadow Carsten Koall/Getty Images

    The Survival of Democracy in Central and Eastern Europe

    Sławomir Sierakowski

    Following parliamentary elections in Poland and local elections in Hungary, populist autocrats in both countries remain in power, where they will continue to undermine democratic institutions. Even so, relative victories for opposition forces in both countries show that the region's "illiberal democrats" are not unbeatable.

    0
  2. tharoor133_Drew AngererGetty Images_modihandsout Drew Angerer/Getty Images

    India’s Modi Slowdown

    Shashi Tharoor

    After Prime Minister Narendra Modi was overwhelmingly re-elected in May with an even larger majority for his party, many economists expected him to take bold steps to remove the many bottlenecks that have discouraged investors. But no one should believe the Modi government has the ability or the will to fix what it broke.

    3
  3. drew47_Drew AngererGetty Images_trumpgiulianasmiling Drew Angerer/Getty Images

    Will Trump Be Removed from Office?

    Elizabeth Drew

    Assuming the US House of Representatives votes to impeach President Donald Trump, the fact remains that there are far fewer votes in the Senate than will be needed to convict him and remove him from office. But the willingness of Congress – including the Senate – to continue tolerating his dangerous conduct is now truly in question.

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated Cookie policy, Privacy policy and Terms & Conditions