Christine Lagarde and Janet Yellen Yin Bogu/ZumaPress

A Promessa e o Perigo da Política Macroprudencial

MONTEVIDÉU – Os banqueiros centrais continuam a preocupar-se com a instabilidade dos mercados de activos, como é seu dever, dada a crise financeira de 2008-2009. Como já se queimaram uma vez, agora estão duplamente receosos. E a recente correcção bolsista na China certamente que não veio apaziguar os seus receios.

Os preços dos títulos estão extraordinariamente elevados, considerando a envolvente de crescimento económico flácido. Os preços das obrigações dispararam na sequência do alívio quantitativo do Banco do Japão, da Reserva Federal, e agora do Banco Central Europeu. Os preços do imobiliário, de Londres a São Francisco, subiram até níveis estratosféricos. O que deve ser feito para minimizar os riscos de uma inversão rápida e acentuada no preço dos activos?

Durante muitos anos, esta pergunta era enquadrada pelo debate “encostar ou limpar”: devem os bancos centrais “encostar-se” às bolhas, amortecendo os preços dos activos que criem riscos à estabilidade financeira, ou simplesmente limpar a confusão provocada pelo rebentamento das bolhas? Os defensores da última abordagem, tal como o antigo Presidente do Fed, Alan Greenspan, exprimem dúvidas quanto à capacidade dos legisladores identificarem as bolhas com fiabilidade, e são normalmente apreensivos quanto a gerir os preços dos activos.

To continue reading, please log in or enter your email address.

Registration is quick and easy and requires only your email address. If you already have an account with us, please log in. Or subscribe now for unlimited access.

required

Log in

http://prosyn.org/SFDz2Gr/pt;