Paul Lachine

O fracasso das finanças do mercado livre

LONDRES – Cinco anos após o colapso do banco de investimento dos EUA, Lehman Brothers, o mundo ainda não abordou a causa fundamental da crise financeira posterior - um excesso de dívida. E é por isso que a recuperação económica progrediu muito mais lentamente do que alguém esperava (em alguns países, nem sequer chegou a progredir).

A maioria dos economistas, banqueiros centrais e reguladores não apenas não conseguiram prever a crise, mas também acreditavam que a estabilidade financeira estava assegurada contando que a inflação fosse baixa e estável. E, assim que a crise imediata foi contida, não conseguimos prever o quão dolorosas seriam as suas consequências.

As previsões oficiais na Primavera de 2009 não anteciparam nem uma recuperação lenta, nem que a crise inicial, que estava essencialmente confinada aos Estados Unidos e ao Reino Unido, iria rapidamente alimentar uma crise que se repercutiu na zona euro. E as forças de mercado não se aproximaram nas previsões das taxas de juros quase a zero durante cinco anos (e ainda continua).

To continue reading, please log in or enter your email address.

To continue reading, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you are agreeing to our Terms and Conditions.

Log in

http://prosyn.org/cYojNU1/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.