Brexit Dan Kitwood/Getty Images

A esquerda certa para a Europa

ATENAS – O referendo do Reino Unido para decidir a saída ou permanência do país na União Europeia criou alianças peculiares — e antagonismos ainda mais peculiares. Os conservadores voltaram-se implacavelmente uns contra os outros, pelo que a cisão que se verificou no establishment conservador mereceu bastante atenção. Porém, uma divisão semelhante (felizmente mais civilizada) afectou a minha ala: a esquerda.

Tendo feito campanha contra a "Saída" durante vários meses na Inglaterra, País de Gales, Irlanda do Norte e Escócia, era inevitável que eu viesse a enfrentar críticas por parte dos apoiantes de esquerda do "Brexit" (abreviatura inglesa de "British Exit") ou "Lexit" (abreviatura inglesa de "Exit from the Left"), como passou a ser conhecido.

Os defensores do Lexit rejeitam o apelo lançado pelo DiEM25 (o movimento a favor de uma democracia radical na europa, lançado em Berlim, em Fevereiro) em prol de um movimento pan-europeu para modificar a UE a partir do interior. Para estes defensores do Brexit, o relançamento de uma política progressista exige a saída de uma União Europeia (UE) incorrigivelmente neoliberal. Esta situação originou um debate que era necessário à esquerda.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/ucAxNeI/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.