Do Estado-Providência ao Estado-Inovação

PRINCETON – Um espectro assombra a economia mundial – o espectro da tecnologia destruidora de empregos. O modo como este desafio for enfrentado determinará o destino das economias de mercado e dos governos democráticos mundiais, quase da mesma maneira como a resposta Europeia à ascensão do movimento socialista durante o fim do século XIX e o início do século XX moldou o curso da história posterior.

Quando a nova classe trabalhadora industrial se começou a organizar, os governos desarmaram a ameaça de revolução do proletariado profetizada por Karl Marx, expandindo os direitos políticos e sociais, regulando mercados, criando um estado-providência que proporcionou amplas transferências e segurança social, e suavizando os altos e baixos da macroeconomia. Na verdade, reinventaram o capitalismo para torná-lo mais inclusivo e para dar aos trabalhadores uma participação no sistema.

As actuais revoluções tecnológicas exigem uma reinvenção igualmente abrangente. Os benefícios potenciais das descobertas e de novas aplicações na robótica, biotecnologia, nas tecnologias digitais e em outras áreas estão à nossa volta e são facilmente visíveis. Na verdade, muitos acreditam que a economia mundial possa estar à beira de mais uma explosão nas novas tecnologias.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To read this article from our archive, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/npsgTDD/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.