A guerra mal orientada contra as drogas da África Ocidental

ACRA – Uma estimativa recente feita pelo Instituto Nacional de Estatística do Reino Unido, que diz que o mercado de drogas ilegais adiciona 4,4 mil milhões de libras (7,6 mil milhões de dólares) por ano à economia do país, dá uma ideia da escala assombrosa do tráfico de narcóticos ilícitos. Para regiões como a África Ocidental, com economias que não são nem tão grandes nem tão desenvolvidas como a do Reino Unido, o impacto de tal actividade pode ser ainda mais corrosivo.

A África Ocidental encontra-se cada vez mais emaranhada no comércio global de drogas. A sua localização torna-a vulnerável a ser explorada como ponto de passagem entre os centros de produção da América Latina e da Ásia e os mercados consumidores da Europa e dos Estados Unidos da América.

Mas, tal como a experiência da América Central demonstra, os países de passagem não servem apenas como um corredor para as drogas. As drogas ilegais e o dinheiro que os rodeiam invadem e desestabilizam as suas sociedades. Este desenvolvimento perturbador - um subproduto da fracassada “guerra global contra as drogas” - ameaça reverter os ganhos económicos e sociais recentes na nossa região.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/Nim45EV/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.