Empowering Indian teenage girls Hindustan Times/Getty Images

Libertar o potencial das jovens

NOVA IORQUE – Visitei recentemente um “clube de raparigas” – um lugar seguro onde as adolescentes se reúnem com orientadores especializados, para estabelecerem as suas redes sociais e aprenderem competências para a vida – no distrito de Tonk, no Rajastão indiano. Assim que cheguei, fui saudado por um grupo de adolescentes que saltitava pela estrada, tão cheias de energia e riso que não pude deixar de sorrir também. Imagine-se, pensei então, o potencial de 600 milhões de jovens como estas.

Chegou a maior geração da História de raparigas com idades entre os 10 e os 19 anos, pronta para deixar a sua marca no mundo. Os governos, as organizações para o desenvolvimento e as instituições privadas estão ansiosos por ajudá-las a traduzir esse potencial juvenil num motor para a criatividade, crescimento económico e progresso social. Mas, no caminho que as levará a esse futuro, as jovens continuam a enfrentar obstáculos importantes.

Perto de 170 milhões de raparigas (quase um terço das jovens em todo o mundo) não estão matriculadas na escola. Esta é uma enorme oportunidade perdida: por cada ano de escolaridade de que abdica, uma rapariga vê o seu rendimento potencial descer 10 a 20%. Porém, continuam a existir grandes barreiras contra o estímulo à escolarização, a começar pela persistência do casamento infantil.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

Get unlimited access to PS premium content, including in-depth commentaries, book reviews, exclusive interviews, On Point, the Big Picture, the PS Archive, and our annual year-ahead magazine.

http://prosyn.org/KyZSpCf/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.