Skip to main content

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated Cookie policy, Privacy policy and Terms & Conditions

kapparov1_RUSLAN PRYANIKOVAFPGetty Images_kazakhstan protest Ruslan Pryanikov/AFP/Getty Images

As reformas de que o Cazaquistão precisa

ALMATY – O ex-presidente do Cazaquistão, Nursultan Nazarbayev, que renunciou em março após quase 30 anos no poder, era um grande admirador do líder de Singapura, Lee Kuan Yew. Para Nazarbayev, a liderança de Lee comprovou a importância de se fortalecer a economia antes de se liberalizar a política. Mas as falhas dessa estratégia estão agora em absoluta exibição.

Tal como Nazarbayev disse: “A classe média não emergirá sem uma economia sustentável, a qual não pode existir sem uma liderança suficientemente forte e sábia capaz de tirar o país da queda livre”. Mas uma economia sustentável não é o que o governo dele construiu. Em vez disso, dependia das receitas do petróleo – que representavam mais de 27% do orçamento geral do país em 2014 – para manter os impostos baixos, comprando efetivamente o consentimento dos cidadãos para o autoritarismo.

Quando os preços globais do petróleo caíram a pique em 2014, de mais de 100 dólares por barril para cerca de 50 dólares, o Cazaquistão foi duramente afetado. A moeda local, o tenge, perdeu quase metade do seu valor em relação ao dólar dos EUA, os rendimentos reais caíram para os níveis anteriores ao boom do petróleo e o desemprego disparou, especialmente entre os jovens.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

Get unlimited access to PS premium content, including in-depth commentaries, book reviews, exclusive interviews, On Point, the Big Picture, the PS Archive, and our annual year-ahead magazine.

https://prosyn.org/QHfolwupt;
  1. pisaniferry106_Mark WilsonGetty Images_phase one agreement trump china  Mark Wilson/Getty Images

    Explaining the Triumph of Trump’s Economic Recklessness

    Jean Pisani-Ferry

    The Trump administration’s economic policy is a strange cocktail: one part populist trade protectionism and industrial interventionism; one part classic Republican tax cuts skewed to the rich and industry-friendly deregulation; and one part Keynesian fiscal and monetary stimulus. But it's the Keynesian part that delivers the kick.

    4
  2. yu49_ShengJiapengChinaNewsServiceVCGviaGettyImages_G20trumpjinpingshakehands Sheng Jiapeng/China News Service/VCG via Getty Images

    PS Say More: Keyu Jin

    Keyu Jin assesses the “phase one” US-China trade deal, questions whether the US can ever accept China’s development model, and highlights a key difference in how the Hong Kong protests are viewed inside and outside China.
    0