Ilusões Americanas nos Antípodas

NOVA IORQUE – Para o bem ou para o mal, os debates sobre política económica nos Estados Unidos são invocados frequentemente noutras paragens, independentemente de serem relevantes. O governo recentemente eleito do Primeiro-Ministro Australiano Tony Abbott fornece um bom exemplo desta realidade.

Tal como em muitos outros países, os governos conservadores discutem cortes nos gastos governamentais, baseando-se no facto de que os défices fiscais comprometem o seu futuro. No caso da Austrália, contudo, essas afirmações soam particularmente a falso – embora isso não tenha impedido o governo de Abbott de as utilizar no debate.

Mesmo que aceitemos a pretensão dos economistas de Harvard Carmen Reinhart e Kenneth Rogoff, de que níveis muito elevados da dívida pública significam um menor crescimento – uma opinião que, na verdade, nunca comprovaram e que foi posteriormente desacreditada – a Austrália está muito longe desse limiar. O seu rácio dívida/PIB é apenas uma fracção do rácio dos EUA, e é um dos mais baixos entre os países da OCDE.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/I84mC2E/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.