O enigma da inovação

NOVA IORQUE – Por todo o mundo, há um enorme entusiasmo pelo tipo de inovação tecnológica simbolizada pelo Silicon Valley. Nesta perspectiva, o talento da América representa a sua verdadeira vantagem comparativa, que os outros se esforçam por imitar. Mas há um enigma: é difícil detectar os benefícios desta inovação nas estatísticas do PIB.

Aquilo que acontece actualmente é análogo aos acontecimentos que ocorreram há algumas décadas, no início da era dos computadores pessoais. Em 1987, o economista Robert Solow - premiado com o Prémio Nobel pelo seu trabalho pioneiro dedicado ao crescimento - lamentou que “Pode-se ver a era do computador em todo o lado, excepto nas estatísticas da produtividade”. Há várias explicações possíveis para isto.

Talvez o PIB não capte realmente as melhorias nos padrões de vida que a inovação da era do computador está a gerar. Ou talvez esta inovação seja menos significativa do que aquilo que os seus entusiastas acreditam. Como se vê, há alguma verdade em ambas as perspectivas.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/I9K8kSI/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.