No poupar é que está o ganho

ROMA – Todos os anos, desperdiçamos ou perdemos 1,3 mil milhões de toneladas de alimentos - um terço da produção alimentar anual, em todo o mundo. A íngreme escala do número faz com que seja quase impossível de compreender, independentemente da abordagem de cada um. Tente imaginar 143 mil Torres Eiffel empilhadas, umas em cima das outras, ou uma pilha de dez biliões de bananas.

O número é ainda mais incompreensível, uma vez que, juntamente com este enorme desperdício e perda, 840 milhões de pessoas sofrem diariamente de fome crónica. Muitos milhões mais sofrem de “fome silenciosa” - desnutrição e deficiências de micronutrientes.

Para os que têm interesse pela economia, têm aqui outro número: o desperdício e a perda de alimentos, expressa nos preços de produção, custa cerca de 750 mil milhões de dólares por ano. Se considerássemos os preços de venda a retalho e os impactes ambientais mais vastos, incluindo as alterações climáticas, o valor seria muito mais elevado.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To read this article from our archive, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you are agreeing to our Terms and Conditions.

Log in

http://prosyn.org/ZkJ73Be/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.