O Erro Ucraniano da Europa

BERLIM – A União Europeia provavelmente nunca antes passou por algo assim: o governo do Presidente Ucraniano Viktor Yanukovych fingiu negociar um acordo de associação, apenas para voltar atrás no último minuto. Os líderes da UE sentiram-se enganados; em Moscovo, contudo, o ambiente era de celebração.

Como sabemos agora, a verdadeira motivação de Yanukovych para as negociações consistia em aumentar o preço a pagar pela Rússia para manter a Ucrânia na sua órbita estratégica. Poucos dias mais tarde, Yanukovych e o Presidente Russo Vladimir Putin anunciaram um empréstimo Russo no valor de 15 mil milhões de dólares, um corte nos preços do gás natural, e vários acordos comerciais.

Do ponto de vista de Yanukovych, este acordo fazia sentido no curto prazo: a transacção do gás ajudaria a Ucrânia a sobreviver ao inverno, o empréstimo evitaria que a sua dívida entrasse em incumprimento, e o mercado Russo, do qual depende a economia, permaneceria aberto. No médio prazo, porém, ao rejeitar a UE e ao voltar-se para Rússia, a Ucrânia enfrenta o risco de perder a sua independência – da qual depende a ordem pós-Soviética na Europa.

To continue reading, please log in or enter your email address.

Registration is quick and easy and requires only your email address. If you already have an account with us, please log in. Or subscribe now for unlimited access.

required

Log in

http://prosyn.org/1i57iDa/pt;