A Europa e a Chamada à Realidade de Putin

BERLIM – Durante demasiado tempo, o Ocidente alimentou ilusões sobre a Rússia de Vladimir Putin – ilusões que foram agora despedaçadas na península da Crimeia. O Ocidente poderia (e deveria) ter previsto esta situação: desde o seu primeiro mandato como presidente Russo, o objectivo estratégico de Putin tem sido a reconstrução do estatuto da Rússia enquanto potência global.

Para tal, Putin usou as exportações Russas de energia para recuperar gradualmente os territórios perdidos quando a União Soviética se desmoronou, há uma década atrás. A Ucrânia esteve no centro destra estratégia, porque, sem ela, o objectivo de uma Rússia revitalizada é inalcançável. Por isso a Crimeia foi apenas o primeiro alvo; o seguinte será a Ucrânia oriental e a persistente desestabilização do país no seu todo.

Diante dos nossos olhos, o sistema internacional pós-Soviético na Europa Oriental, no Cáucaso, e na Ásia Central está a ser derrubado. Os conceitos oitocentistas da ordem internacional, baseados em considerações estéreis de equilíbrio de poder e de esferas de interesse, ameaçam ultrapassar as normas modernas da autodeterminação nacional, da inviolabilidade das fronteiras, do estado de direito, e dos princípios fundamentais da democracia.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To continue reading, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you are agreeing to our Terms and Conditions.

Log in

http://prosyn.org/fGLYUyM/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.