2

Acabar com a fome

ROMA – Pelo menos 842 milhões de pessoas no mundo sofrem de fome crónica - quase menos 1,5% dos 854 milhões estimados para o período 2010-2012. É claro que, embora tenha havido alguns progressos, o mundo ainda tem um longo caminho a percorrer para erradicar a subnutrição.

Enquanto os líderes mundiais tentam determinar o melhor caminho a seguir, um relatório publicado este ano, em conjunto pela Organização para a Alimentação e Agricultura, pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola e pelo Programa Alimentar Mundial, pode ser um recurso importante. “O Estado da Insegurança Alimentar no Mundo” (SOFI 2013) fornece estimativas actualizadas da subnutrição e do avanço para se chegar aos grupos de fome atribuídos pelos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM) e pela Cimeira Mundial da Alimentação (CMA).

O avanço nos ODM tem sido desigual. Embora muitos países do mundo em desenvolvimento - lar de 827 milhões de subnutridos do mundo (em comparação com os 838 milhões em 2010-2012) - caminhem para reduzir para metade, até 2015, a proporção de pessoas famintas em relação a 1990, a taxa média do decréscimo é insuficiente para atingir a meta nos próximos dois anos. A meta mais ambiciosa da CMA de reduzir para metade o número total de pessoas que passam fome no mundo está ainda mais distante, com o número de pessoas subnutridas a cair para os apenas 17% desde 1990-1992.