Matteo Salvini speaks at the annual Northern League Meeting Pier Marco Tacca/Getty Images

O euro dos populistas

BERKELEY – A maioria dos italianos quer duas coisas: uma nova liderança política e o euro. Resta saber se poderão ter ambas.

A questão sobre a nova liderança é incontestável. Os dois principais partidos populistas do país, a Liga e o Movimento 5 Estrelas (M5S), recolheram em conjunto 50% dos votos nas eleições de 4 de Março e, como consequência, alcançaram maiorias nas duas câmaras parlamentares. As suas maiorias poderão ser escassas, mas estas eleições, em que os principais partidos de centro-direita e centro-esquerda não foram além dos 33%, representaram um repúdio retumbante do status quo.

A segunda questão é menos bem conhecida, mas ainda menos controversa: sondagens recentes mostram que entre 60 e 72% dos italianos são a favor do euro. Alguns acreditam que a moeda única protege as suas poupanças, enquanto outros a consideram um emblema do estatuto da Itália como membro fundador da União Europeia. Mas mesmo que as razões divirjam, o saldo da opinião pública não se altera.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To read this article from our archive, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles from our archive every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/7F6Gned/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.