O Parlamento Refém da Índia

NOVA DELHI – A corrente interrupção da “sessão da monção” no parlamento Indiano demonstrou simultaneamente a resiliência da democracia Indiana e a irresponsabilidade com que é tratada pelos seus responsáveis.

Exigindo a demissão do Primeiro-Ministro Manmohan Singh, devido à alegadamente indevida atribuição de concessões mineiras de carvão a companhias privadas, o Partido Bharatiya Janata, na oposição, fez suspender os trabalhos parlamentares em três das quatro semanas da sessão. A paralisação repetida do parlamento por membros do PJB gritando palavras de protesto – violando todos os cânones da polidez legislativa e levando o infeliz orador a adiar as reuniões quotidianas – fez com que a actividade legislativa fosse interrompida.

O código de conduta que é transmitido a todos os recém-eleitos membros do parlamento – incluindo injunções por falar fora do seu turno, gritar palavras de protesto, agitar cartazes, e marchar até o centro do parlamento – tem sido completamente ignorado. Igualmente notável é a impunidade com que os legisladores desafiam as regras. Oradores sucessivos confessaram a sua impotência em face de um obstrucionismo tão determinado por parte do principal partido da oposição.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/VqCGbPL/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.