Os Indianos Globais

KOCHI, ÍNDIA – Nenhum outro país possui algo semelhante - uma festa anual da sua diáspora, organizada com grande aparato pelo seu governo. Há dez anos que a Índia realiza com enorme sucesso esta festa, programada para coincidir com a data de regresso à Índia do mais famoso de todos os expatriados indianos, Mahatma Gandhi, que no dia 9 de Janeiro de 1915 chegou a Bombaim, onde desembarcou do navio sul-Africano. Enquanto escrevo, a cidade portuária de Kochi está apinhada de indianos expatriados que celebram a ligação à sua pátria.

A Índia é o único país que possui uma sigla oficial para os seus expatriados - NRI ( sigla em inglês para Non-Resident Indians, ndt.), que significa "Cidadãos Indianos Não Residentes". No meu livro Índia: Da meia-noite ao Milénio, sugeri, meio a sério e meio a brincar, que a questão é saber se a sigla NRI deveria significar "Não é Realmente Indiano" ou "Nunca Rejeitou a Índia."

É claro os cerca de 25 milhões de pessoas de ascendência indiana que vivem no estrangeiro se enquadram em ambas as categorias. Mas a delegação de 1.600 pessoas que, este mês, afluíram a Kochi, vindos de 61 países, para participar nas comemorações da décima primeira edição do Pravasi Bharatiya Divas (Dia dos Indianos Expatriados) inserem-se claramente na segunda categoria. Estavam na Índia, para afirmar a sua pretensão de a reivindicar.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/UVYDisT/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.