O Teste à Paz Israelo-Egípcia

WASHINGTON, DC – Os ataques de mísseis que um grupo militante Islamita perpetrou recentemente, do Sinai Egípcio para a cidade israelita de Eilat, serviram como mais uma lembrança de como permanecem delicadas as relações bilaterais, dois anos depois da revolução no Egipto. A actividade terrorista poderá causar facilmente uma crise fronteiriça, com o potencial de despoletar um confronto indesejado que ameaçaria o tratado de paz que normalizou as relações bilaterais em 1979. Para evitar esse resultado, Israel e o Egipto devem encetar agora acções convincentes para defender o tratado.

Em Novembro passado, quando as hostilidades irromperam em Gaza, o Presidente Egípcio Mohamed Morsi mediou uma resolução célere, dando mesmo uma garantia para o cessar-fogo com o Hamas, que domina Gaza. Morsi, desse modo, voltou implicitamente a comprometer o Egipto na defesa da paz na fronteira e no desempenho de um papel construtivo no conflito Israelo-Palestiniano. Isto aumentou a confiança Israelita de que a Irmandade Muçulmana, o partido governante do Egipto, defenderia o tratado de paz de 1979. Mas Morsi não apoiou explicitamente a paz com Israel e tem evitado o envolvimento directo com os líderes Israelitas.

Preservar a paz é do interesse de ambos os países. O ataque a um posto avançado do exército Egípcio no Sinai no verão passado, em que militantes armados mataram 16 soldados, demonstrou que o terrorismo ameaça o Egipto do mesmo modo que ameaça Israel.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/cX22Xd5/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.