Medicines Godong/Getty Images

Como aumentar o acesso aos medicamentos essenciais

DÜSSELDORF – A segurança sanitária é, a nível mundial, cada vez mais reconhecida como a base do crescimento económico. As populações saudáveis têm mais capacidade para produzir, comercializar e inovar, ao passo que as populações não saudáveis exercem pressão sobre os orçamentos públicos e criam riscos que desincentivam o intercâmbio económico. Esta lógica está escrita em inúmeros relatórios da União Europeia, e está inclusivamente a ganhar força nos EUA, não obstante a abordagem adoptada pela administração do Presidente Donald Trump em relação aos assuntos internacionais: "América Primeiro".

Neste contexto, a Organização Mundial da Saúde, com o seu novo Director-Geral, Tedros Ghebreyesus, tem uma oportunidade única de prosseguir as reformas urgentemente necessárias. A resposta da OMS ao surto do vírus Ébola de 2014-2016 na África Ocidental foi reconhecidamente considerada como um fracasso. Além disso, com o aparecimento de novas doenças, tais como a Zika — e com o reaparecimento de antigos inimigos como a peste bubónica — não restam dúvidas de que grande parte da humanidade continua à mercê da biologia. Além disso, a globalização agravou o perigo ao facilitar a propagação de doenças transmissíveis. Uma epidemia de gripe como a que ocorreu em 1918-1920, e que matou entre 50 e 100 milhões de pessoas, seria ainda mais devastadora nos dias de hoje.

Para evitar estes resultados catastróficos, é necessária uma abordagem abrangente para reforçar a prestação de cuidados de saúde nos países de rendimento baixo e médio. Mais concretamente, estes países precisam de ajuda para melhorar a administração de medicamentos e a gestão de doenças crónicas, como o cancro e a diabetes, que colocam um imenso fardo sobre as suas economias.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/jZRsNXP/pt;

Handpicked to read next

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.