Greece Mauro Orlando/Flickr

Plano de recuperação Grego

ATENAS – Meses de negociações entre o nosso governo e o Fundo Monetário Internacional, a União Europeia e o Banco Central Europeu produziram fracos progressos. Uma das razões para tal é o facto de todas as partes estarem demasiado focadas nas condições da próxima injecção de liquidez e muito pouco numa visão de recuperação sustentável da Grécia. Para resolver o impasse é necessário perspectivar uma economia Grega saudável.

A recuperação sustentável requer reformas sinérgicas capazes de libertar o potencial considerável do país através da supressão de obstáculos em diversos domínios: investimento produtivo, concessão de crédito, inovação, concorrência, segurança social, administração publica, sistema judiciário, mercado de trabalho, produção cultural e, por último, mas não menos importante, a governação democrática.

Sete anos de deflação da dívida reforçada pela expectativa de uma austeridade perpétua dizimaram o investimento público e privado e levaram os bancos mais apreensivos e frágeis a estancar o crédito. Dada a fraca margem orçamental do governo e o peso do crédito mal parado sobre os bancos Gregos, é fundamental mobilizar os restantes activos do Estado e desimpedir o fluxo do crédito bancário para os segmentos sãos do sector privado.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/GUIGsni/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.