Educação Sem Fronteiras

LONDRES – À medida que se aproxima o terceiro aniversário do início da guerra civil Síria, há uma corrida contra o tempo para implementar um projecto educativo inovador junto das vítimas mais atingidas pelo conflito – as centenas de milhares de crianças refugiadas.

Uns chocantes três milhões de crianças Sírias já foram deslocados. Mais de um milhão fugiu da Síria e definha em campos de países vizinhos, especialmente no Líbano, Jordânia, e Turquia. Estas crianças passam agora o seu terceiro inverno longe dos seus lares, escolas, e amigos. Muitas foram separadas de suas famílias, e muitos milhares engrossam todos os dias as fileiras das pessoas desalojadas, no que se está a tornar a maior catástrofe humanitária do nosso tempo.

Mas uma iniciativa inovadora no Líbano, envolvendo professores, agências de ajuda humanitária, e instituições educativas de beneficência abriu uma pequena janela de esperança. Por entre o caos dos campos, das tendas provisórias, e da destituição, a luta por um importante novo princípio da ajuda internacional começou: mesmo em tempos de conflito, as crianças devem ter acesso à educação.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To read this article from our archive, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles from our archive every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/ReXslhg/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.