Skip to main content

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated Cookie policy, Privacy policy and Terms & Conditions

rioux3_Marco Di LauroGetty Images_aidshivafricatreatment Marco Di Lauro/Getty Images

Um mundo sem SIDA, tuberculose e malária

PARIS – Como parte da Agenda das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, a comunidade internacional estabeleceu para si mesma o objetivo ambicioso de erradicar o VIH, a tuberculose e a malária até 2030. Apesar do progresso extraordinário já realizado, acabar com essas pandemias e alcançar o objetivo mais amplo de garantir a saúde e o bem-estar de todos exigirá intensificar os esforços para apoiar os países na construção de sistemas de saúde resilientes e inclusivos.

O Fundo Global de Combate à SIDA, Tuberculose e Malária, uma parceria público-privada, tem contribuído substancialmente para esse esforço, ampliando massivamente a prevenção e o tratamento. Nos países onde o Fundo Global investe, há 18,9 milhões de pessoas que receberam terapia antirretroviral para o VIH em 2018, foram tratados 5,3 milhões de pacientes com tuberculose e foram distribuídas 131 milhões de redes mosquiteiras.

Esses esforços revelaram ser tremendamente eficazes na redução do número de mortes dessas pandemias. Os números mais recentes indicam que 32 milhões de vidas foram salvas desde a criação do Fundo Global em 2002. Na última década, o número anual de mortes por VIH, tuberculose e malária diminuiu em cerca de metade.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

Get unlimited access to PS premium content, including in-depth commentaries, book reviews, exclusive interviews, On Point, the Big Picture, the PS Archive, and our annual year-ahead magazine.

Help make our reporting on global health and development issues stronger by answering a short survey.

Take Survey

https://prosyn.org/gEc7tDKpt;

Edit Newsletter Preferences