Aytac Unal/Anadolu Agency/Getty Images

Liberdade de expressão na era do filtro

OXFORD –A Lei de Aplicação na Rede da Alemanha –segundo a qual as plataformas de redes sociais, como o Facebook e o YouTube, poderiam ser multadas em 50 milhões de euros (63 milhões de dólares) por cada publicação obviamente ilegalexibida no espaço de 24 horas após receção da notificação –tem sido controversa desde o início. Depois de ter entrado plenamente em vigor, em janeiro, houve uma enorme indignação, com críticos de todo o mapa político a argumentar que era um engodo para a censura. Protestaram que o governo estava a abdicar dos seus poderes em prol de interesses privados.

Então, é este o começo do fim da liberdade de expressão na Alemanha?

Claro que não. A lei alemã Netzwerkdurchsetzungsgesetz (ou NetzDG) é, indubitavelmente, a regulamentação mais rigorosa, deste género, na Europa que está cada vez mais irritada com as empresas de redes sociais dos EUA. E os críticos têm alguns argumentos válidos sobre as fraquezas da lei. Mas as possibilidades de haver liberdade de expressão continuarão a ser abundantes, mesmo se algumas publicações forem apagadas equivocadamente.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To continue reading, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you are agreeing to our Terms and Conditions.

Log in

http://prosyn.org/ZlyFyMt/pt;

Handpicked to read next

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.