Rohingya Refugee Muslims Participate in Early Marriages Allison Joyce/Getty Images

Os custos do casamento infantil

NOVA IORQUE – Os custos humanos do casamento infantil são sobejamente conhecidos; por todo o mundo, as noivas-criança são, em média, menos instruídas, mais pobres e mais propensas à violência sexual do que as mulheres que se casam mais tarde. Porém, quando o impacto económico do casamento infantil é adicionado a este registo sinistro, a conta a pagar é verdadeiramente estarrecedora.

De acordo com o Centro Internacional de de Investigação sobre Mulheres e o Banco Mundial, a supressão da prática do casamento infantil permitiria uma poupança milhares de milhões de dólares americanos em despesas anuais em matéria de segurança social, tendo por resultado uma poupança global de mais de 4 biliões de dólares americanos até 2030. Em termos práticos, o mundo não tem condições para continuar a sustentar o casamento infantil.

Muitos governos já o reconheceram. Na Indonésia, por exemplo, onde o impacto económico do casamento infantil afecta negativamente as previsões do crescimento a longo prazo, o Presidente Joko Widodo comprometeu-se a proibir a prática, o que representa um compromisso significativo num país onde 14% das meninas se casam antes dos 18º anos.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To read this article from our archive, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles from our archive every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

Help make our reporting on global health and development issues stronger by answering a short survey.

Take Survey

http://prosyn.org/j6WZ7L5/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.