A justiça e as alterações climáticas

PRINCETON - O sentimento de justiça é universal entre os seres humanos, mas muitas vezes as pessoas divergem sobre exatamente o que a justiça exige numa situação específica. Em nenhum lugar isso é mais evidente do que no debate sobre a necessidade de reduzir as emissões de gases com efeito de estufa (GEE), a fim de se evitar alterações climáticas perigosas.

A China e os Estados Unidos são os dois maiores emissores de GEE e parece improvável que qualquer acordo mundial para reduzir as emissões seja eficaz, a menos que ambos participem. No entanto, nas negociações internacionais sobre o clima, as suas perspectivas sobre o que cada um deveria fazer parecem estar distantes uma da outra. 

Como professores interessados​ na questão das alterações climáticas - um de uma universidade da China e outro de uma universidade de prestígio dos EUA - nós pensámos que seria interessante ver se podíamos chegar a acordo sobre um princípio justo para regulamentar as emissões de GEE.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To read this article from our archive, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/BAjYLmC/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.