Skip to main content

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated Cookie policy, Privacy policy and Terms & Conditions

cunliffejones1_MihajloMaricicGettyImages_journalistwritingmicrophones Mihajlo Maricic/Getty Images

Como a verificação de factos pode vencer a luta contra a desinformação

JOANESBURGO – Segundo os verificadores de factos do Washington Post, o presidente dos EUA, Donald Trump, fez mais de 13 000 alegações falsas ou enganadoras desde que tomou posse. Não é de admirar que algumas pessoas duvidem de que a verificação da veracidade das alegações de políticos seja uma resposta para os problemas desta era da desinformação.

Quando políticos e jornalistas da Europa, das Américas, da África e da Ásia se reuniram em Londres para a Conferência Global para a Liberdade de Imprensa em Julho, reconheceram que a ascensão da desinformação contribuiu para o decréscimo da confiança do público nos políticos e nos meios de comunicação. Mas não se prevêem soluções eficazes. Quando os membros da elite política e empresarial da Europa se reuniram no mesmo mês para a conferência Les Rencontres Économiques d’Aix-en-Provence 2019, também eles viram poucas opções para renovar a confiança.

Mas isso não significa que não existam. Como líderes ou fundadores de organizações de verificações de factos em África, na América Latina e na Europa, sabemos que o nosso trabalho pode desempenhar um papel poderoso para contrariar os efeitos da desinformação e para restaurar a confiança em fontes fiáveis.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

Get unlimited access to PS premium content, including in-depth commentaries, book reviews, exclusive interviews, On Point, the Big Picture, the PS Archive, and our annual year-ahead magazine.

https://prosyn.org/bmGbZmZpt;