60

A perda de razão da Europa

NOVA IORQUE – Finalmente, os Estados Unidos estão a mostrar sinais de recuperação da crise que eclodiu no final da administração do Presidente George W. Bush, quando a quase implosão do seu sistema financeiro enviou ondas de choque em todo o mundo. Mas não é uma recuperação forte; na melhor das hipóteses, a distância entre onde a economia deveria ter estado e onde está hoje não está a aumentar. Se estiver a diminuir, está a ser muito lentamente; o dano causado pela crise parece ser a longo prazo.

Então, mais uma vez, poderia ser pior. Do outro lado do Atlântico, há poucos sinais de até mesmo uma modesta recuperação ao estilo americano: A diferença entre onde está a Europa e onde deveria ter estado na ausência da crise continua a crescer. Na maioria dos países da União Europeia, o PIB per capita é menor do que era antes da crise. Meia década perdida está rapidamente a transformar-se numa inteira. Por trás das estatísticas frias, vidas estão a ser arruinadas, sonhos estão a ser destruídos e famílias estão a desmoronar (ou não estão a ser constituídas) à medida que a estagnação – depressão em alguns lugares – continua ininterruptamente ano após ano.

A UE tem pessoas extremamente talentosas e instruídas. Os seus países membros têm fortes quadros jurídicos e sociedades que funcionam bem. Antes da crise, a maioria ainda tinha economias que funcionavam bem. Em alguns lugares, a produtividade por hora – ou a taxa do seu crescimento – estava entre as mais altas do mundo.

Mas a Europa não é uma vítima. Sim, a América geriu mal a sua economia; mas, não, os EUA de alguma forma não conseguiram orientar-se de forma a se imporem ao golpe da precipitação global na Europa. O mal-estar da UE é auto-infligido, devido a uma sucessão sem precedentes de más decisões económicas, começando com a criação do euro. Embora a sua intenção fosse unir a Europa, no final, o euro dividiu-a; e, na ausência de vontade política para criar as instituições que permitiriam que uma moeda única funcionasse, o dano não está a ser reparado.