União essencial da Europa

BRUXELAS – Nos últimos dez anos, a União Europeia tem sofrido uma série de crises sem precedentes, daquelas que provavelmente não voltaremos a viver. Mas outros desafios, não menos exigentes, estão por vir e faríamos bem em recordar as lições aprendidas ao longo do percurso.

Uma das lições é que a união não é uma opção; é uma condição sine qua non da prosperidade económica e relevância política da UE. É notável que desde 2004, ano em que me tornei Presidente da Comissão Europeia, os membros da UE tenham quase duplicado, passando de 15 países para os atuais 28.

Não houve desistências. De 2004 a 2014, alargamos tanto a UE como a zona euro. E o mais importante, mantivemos a Europa unida.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To read this article from our archive, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles from our archive every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/G9oxGXv/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.