PETER KOHALMI/AFP/Getty Images

A Crise da Vergonha da Europa de Leste

BERLIM – Enquanto milhares de refugiados chegam às costas da Europa para fugir aos horrores da guerra, muitos deles morrendo pelo caminho, vive-se um outro tipo de tragédia em muitos dos novos Estados-Membros da União Europeia. Os países conhecidos colectivamente como «Europa de Leste», incluindo a Polónia (o meu país de origem), revelaram-se intolerantes, pouco liberais, xenófobos e incapazes de se lembrarem do espírito de solidariedadeque, há um quarto de século, os conduziu à liberdade.

São estas mesmas sociedades que se mostravam, antes e depois da queda do comunismo, favoráveis a um «regresso à Europa», proclamando orgulhosamente que partilhavam os seus valores. Porém, o que representava então a Europa para estes países? Desde 1989 (e em particular desde 2004, aquando da sua adesão à UE), estes países beneficiaram de transferências de fundos massivas sob a forma de fundos estruturais e de coesão europeus. Actualmente, não estão dispostos a contribuir em nada para resolver a maior crise de refugiados enfrentada pela Europa desde a Segunda Guerra Mundial.

Com efeito, perante o olhar de todo o mundo, o governo da Hungria, um Estado-Membro da UE, maltratou milhares de refugiados. O Primeiro-ministro Viktor Orbán não vê razão para agir de outra forma: insiste em afirmar que os refugiados não são um problema europeu, mas sim um problema alemão.

To continue reading, please log in or enter your email address.

Registration is quick and easy and requires only your email address. If you already have an account with us, please log in. Or subscribe now for unlimited access.

required

Log in

http://prosyn.org/JfqFLJQ/pt;