Putin on defender of the motherland day Sasha Mordovets/Getty Images

Os desafios da política externa de Donald Trump

CAMBRIDGE – Durante a sua campanha, o recém-eleito Presidente Donald Trump questionou \as alianças e instituições que sustentam a ordem liberal mundial, mas enunciou poucas políticas específicas. Talvez a questão mais importante que a sua vitória levanta é se a longa fase de globalização, que começou no final da Segunda Guerra Mundial chegou basicamente ao fim.

Não necessariamente. Mesmo que os acordos comerciais, como a Parceria Trans-Pacífico e a TTIP falhem e a globalização da economia abrande, as tecnologias estão a promover a globalização ecológica, política e social sob a forma de alterações climáticas, terrorismo transnacional e migração — quer Donald Trump goste, quer não. A ordem mundial é mais do que apenas a economia e os EUA continuam a ser fundamentais para esta ordem.

Os norte-americanos, muitas vezes não compreendem o seu lugar no mundo. Oscilam entre o triunfalismo e o declínio. Após o lançamento do Sputnik pelos soviéticos em 1957, acreditámos estar em declínio. Na década de 1980, pensámos que os japoneses eram maiores. Na sequência da Grande Recessão de 2008, muitos norte-americanos consideravam erroneamente que a China se tornara mais poderosa do que os EUA.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To read this article from our archive, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles from our archive every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/cEFae8w/pt;

Handpicked to read next

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.