vaccination Mohammed Huwais/AFP/Getty Images

Novas vias para a liderança no desenvolvimento internacional

SEATTLE – A ajuda pública ao desenvolvimento (APD) contribui para salvar vidas, construir sociedades mais estáveis e mais seguras e lançar "poder suave" em todo o mundo. Trata-se de um aspecto que o meu chefe, Bill Gates, trouxe recentemente para casa, quando se dirigiu aos principais teóricos militares e da segurança do Reino Unido no Royal United Services Institute, em Londres.

Tinha sido perguntado a Bill Gates como é que responderia a um britânico que se sentisse "desmoralizado" pelo facto de o Reino Unido ser um dos poucos países que cumprem o compromisso assumido com as Nações Unidas de gastar 0,7% do seu rendimento nacional bruto na ajuda ao desenvolvimento. No entanto, sublinhar o impacto da APD britânica era apenas parte da resposta; Bill Gates salientou também muitos outros países que também cumprem os seus compromissos em matéria de ajuda.

Na Europa, a Dinamarca, há já algum tempo que a Holanda, a Noruega, o Luxemburgo e a Suécia têm dado cumprimento ao limiar estabelecido pela ONU, e a Alemanha veio recentemente juntar-se a esta categoria. A França ainda não atingiu essa categoria, mas está a aumentar a sua contribuição.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To read this article from our archive, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles from our archive every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/uauxxaR/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.