Morte por causas financeiras

PRINCETON – Com que rapidez as fortunas dos mercados emergentes desandaram. Até há bem pouco tempo, eram tidas como a salvação da economia mundial - os motores dinâmicos de crescimento que iriam dar conta do recado à medida que as economias dos Estados Unidos e da Europa estalejavam. Os economistas da Citigroup, McKinsey, PricewaterhouseCoopers e de outras empresas previam uma era de crescimento ampla e sustentada, da Ásia até à África.

Mas agora, a depressão dos mercados emergentes está de volta. A grande derrota que as moedas destes países sofreram quando a Reserva Federal dos EUA começou a apertar a política monetária é apenas o começo; para onde quer que olhemos, ao que parece, há problemas profundos.

A Argentina e a Venezuela ficaram sem truques políticos heterodoxos. O Brasil e a Índia precisam de novos modelos de crescimento. A Turquia e a Tailândia estão atolados em crises políticas que reflectem os conflitos internos que há muito fervem lentamente. Em África, a preocupação é a ascensão da falta de mudança estrutural e de industrialização. E a principal questão que preocupa a China é saber se o seu abrandamento económico irá ter uma aterragem suave ou violenta.

To continue reading, please log in or enter your email address.

Registration is quick and easy and requires only your email address. If you already have an account with us, please log in. Or subscribe now for unlimited access.

required

Log in

http://prosyn.org/T7b9fbQ/pt;