A marcha lenta rumo à paridade de géneros

BERKELEY – Christine Lagarde, directora-geral do Fundo Monetário Internacional, alertou recentemente para o risco que o mundo corre de haver um novo nível "medíocre normal" de crescimento mais lento. Lagarde não está só na sua preocupação.

Os responsáveis pela política económica em todo o mundo procuram formas de impulsionar o crescimento, sendo que o investimento em infra-estruturas ocupa o topo da maioria das listas. Mas, tal como Lagarde lembra regularmente o seu público, um outro remédio - muitas vezes negligenciado - consiste em aumentar a participação e o progresso económico das mulheres.

As mulheres representam metade da oferta de trabalho a nível global e cerca de 70% da procura mundial de bens de consumo. No entanto, ainda há um longo caminho a percorrer para concretizar o seu potencial económico, como se confirma pelo Relatório de 2014 sobre o Índice Global das Diferenças de Género, lançado recentemente pelo Fórum Económico Mundial (FEM).

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/ALNTZQW/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.