Farmers protest in India Hindustan Times/Getty Images

Resistir à violência das alterações climáticas

SANTA MÓNICA – Num momento em que a Índia enfrenta a pior seca desde há 140 anos, os agricultores indianos saíram para as ruas. Num protesto que teve lugar em Madhya Pradesh este Verão, a polícia abriu fogo contra os agricultores que exigiam o alívio da dívida e melhores preços para as colheitas, matando cinco pessoas. Em Tamil Nadu, um grupo de produtores indignados levou a cabo protestos semelhantes e acendeu velas em memória dos agricultores mortos. Além disso, numa manifestação em Nova Deli, os agricultores mostraram crânios humanos, afirmando que pertenciam aos agricultores que se suicidaram na sequência das perdas devastadoras de culturas ocorridas nos últimos seis meses.

De acordo com um estudo recente de Tamma A. Carleton, da Universidade da Califórnia, em Berkeley, os suicídios entre os agricultores indianos aumentaram juntamente com a temperatura, de modo que o aumento de 1 ºC acima da temperatura média num determinado dia está associado a uma média de cerca de 70 suicídios adicionais.

Além de expor o fracasso das políticas agrícolas, a agitação deste ano provocada pela seca sublinha igualmente a ameaça que as alterações climáticas representam não só para a Índia, com também para todos os países. À medida que as temperaturas globais aumentam e as secas se tornam mais comuns, é bem provável que a agitação política, a instabilidade social e até mesmo a violência se façam sentir.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To read this article from our archive, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles from our archive every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/POQ2xSx/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.