Adam Young/Getty Images

A Distracção da China com os DSE

WASHINGTON, DC – No início de Outubro, a moeda da China, o renminbi, foi acrescentado ao cabaz de moedas que constituem os Direitos de Saque Especiais (ou DSE) do Fundo Monetário Internacional. Anteriormente, os DSE definiam-se como uma média ponderada entre o dólar, euro, libra Britânica e iene Japonês. Agora que o renminbi foi adicionado, já pode reivindicar ser uma das cinco moedas verdadeiramente globais.

Deveríamos interessar-nos? Os Chineses interessam-se. Em Beijing, onde estive no mês passado, a adesão ao exclusivo clube dos DSE era o assunto de que todos queriam falar. (Está bem, para dizer a verdade, também queriam falar de Donald Trump).

Ver o renminbi adicionado ao cabaz dos DSE era uma questão de orgulho nacional. Simbolizou a emergência da China como uma potência global. E vingou os esforços do governo para encorajar o uso do renminbi em transacções transfronteiriças, libertando a China e o resto do mundo da dependência excessiva do dólar.

To continue reading, please log in or enter your email address.

Registration is quick and easy and requires only your email address. If you already have an account with us, please log in. Or subscribe now for unlimited access.

required

Log in

http://prosyn.org/cOCzo44/pt;