yu56_XinhuaZhao Song via Getty Images_chinacoronavirusstore Xinhua/Zhao Song via Getty Images

Decifrando a estratégia chinesa de “circulação dupla”

PEQUIM – Em maio, a liderança central da China proclamou que iria “melhorar totalmente as vantagens do mercado super-largo (do país) e do potencial de demanda interna para estabelecer um novo padrão de desenvolvimento que inclua circulações duplas nacionais e internacionais que complementem umas às outras”. Desde então, “circulação dupla” tem sido o tema de debates intensos dentro e fora da China.

Será que o anúncio sinaliza uma mudança fundamental no paradigma chinês de crescimento ou na estratégia de desenvolvimento do país? Por que este novo conceito foi introduzido, e que mudanças em política econômica ele irá trazer?

Para responder a estas perguntas, pode-se visitar brevemente o processo de “reforma e abertura” da China desde seu início, no fim da década de 70. Próximo ao término daquele período, a principal barreira que impedia a China de decolar economicamente era uma escassez de reservas de moeda estrangeira. Legisladores se viram diante do que parecia um beco sem saída: sem reservas estrangeiras, a China não podia estimular suas exportações, e sem um crescimento considerável das exportações, o país não conseguia ganhar e acumular o volume mínimo necessário de reservas.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading and receive unfettered access to all content, subscribe now.

Subscribe

or

Unlock additional commentaries for FREE by registering.

Register

https://prosyn.org/ah8cvdtpt