Skip to main content

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated Cookie policy, Privacy policy and Terms & Conditions

ang2_Feng LiGetty Images_boxilaihappyhands Feng Li/Getty Images

A meritocracia corrupta da China

ANN ARBOR – Desde que o presidente chinês, Xi Jinping, iniciou a sua radical campanha anticorrupção em 2012, mais de 1,5 milhões de funcionários, incluindo alguns dos principais líderes do Partido Comunista da China (PCC), têm sido disciplinados. Entre eles está Ji Jianye, ex-líder de Nanjing e Yangzhou, na província de Jiangsu. Desonrado, Ji é agora lembrado apenas pelos seus subornos e escândalos. No entanto, antes da sua queda, ele era famoso pela sua competência de punho de ferro. “Em Yangzhou”, lê-se num documento da comunicação social local no Southern Weekend, “a maioria das pessoas concorda que Ji é o líder que mais contribuiu para a cidade desde 1949”.

Os retratos do sistema político da China estão claramente divididos. Uma fação descreve a China como uma meritocracia de estilo confucionista, onde os responsáveis são selecionados, como Daniel A. Bell, da Universidade de Shandong diz, “de acordo com a capacidade e a virtude” através de um processo de cima para baixo, em vez de eleições. Segundo Bell, a meritocracia apresenta uma alternativa – até mesmo um desafio – à democracia. Ele recomenda que o governo chinês exporte este modelo para o exterior.

A segunda fação engloba opositores como Minxin Pei do Claremont McKenna College e o autor, Gordon G. Chang, que insistem há décadas que o PCC está a deteriorar-se devido à corrupção e que brevemente entrará em colapso. Em termos desastrosos, Pei descreve o regime como sendo cheio de “roubos, devassidão e total anarquia”.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

Get unlimited access to PS premium content, including in-depth commentaries, book reviews, exclusive interviews, On Point, the Big Picture, the PS Archive, and our annual year-ahead magazine.

https://prosyn.org/3GcPJvRpt;
  1. pisaniferry106_Mark WilsonGetty Images_phase one agreement trump china  Mark Wilson/Getty Images

    Explaining the Triumph of Trump’s Economic Recklessness

    Jean Pisani-Ferry

    The Trump administration’s economic policy is a strange cocktail: one part populist trade protectionism and industrial interventionism; one part classic Republican tax cuts skewed to the rich and industry-friendly deregulation; and one part Keynesian fiscal and monetary stimulus. But it's the Keynesian part that delivers the kick.

    4
  2. yu49_ShengJiapengChinaNewsServiceVCGviaGettyImages_G20trumpjinpingshakehands Sheng Jiapeng/China News Service/VCG via Getty Images

    PS Say More: Keyu Jin

    Keyu Jin assesses the “phase one” US-China trade deal, questions whether the US can ever accept China’s development model, and highlights a key difference in how the Hong Kong protests are viewed inside and outside China.