rainsy3_Jason LeePoolGettyImages_hunsenlookingatxi Jason Lee - Pool/Getty Images

Invasão chinesa no Camboja

PARIS – Há muito tempo que se receava que a crescente dependência do Camboja da China - o seu maior doador de ajuda, investidor e credor - levaria a uma presença militar chinesa no país. De acordo com um recenterelatório do Wall Street Journal, esses receios estão agora a tornar-se realidade.

À semelhança de um jogador dependente de um agiota, o Camboja acumulou, nos últimos anos, dívidas enormes e obscuras à China, as quais não pode liquidar. Isso deu à China uma alavancagem considerável, permitindo-lhe, por exemplo, evitar as tarifas comerciais do presidente dos EUA, Donald Trump, ao redirecionar as exportações para os Estados Unidos através da Zona Económica Especial de Sihanoukville chinesa, no Camboja.

A julgar pela história da “diplomacia da armadilha da dívida” da China, era apenas uma questão de tempo até que a China usasse a sua influência sobre o Camboja para fortalecer a sua posição militar regional. De acordo com o Wall Street Journal, a hora chegou nesta primavera, quando a China e o Camboja assinaram secretamente um acordo dando à China direitos exclusivos sobre uma parte da Base Naval de Ream do Camboja, no Golfo da Tailândia.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

or

Register for FREE to access two premium articles per month.

Register

https://prosyn.org/Meb0hMQpt