A Frente Rohani

WASHINGTON, DC – A 17 de Junho, na sua primeira conferência de imprensa como Presidente eleito do Irão, Hassan Rohani não avançou muito nas relações da República Islâmica com o Ocidente. Sobre a política nuclear, afirmou que a “era da suspensão terminou”: o Irão não aceitará a suspensão do enriquecimento de urânio nas próximas negociações, mas procurará aumentar a transparência das suas actividades nucleares, de modo a fomentar a confiança internacional. Além disso, o Irão saudaria negociações directas com os Estados Unidos se os EUA parassem de tentar imiscuir-se nos assuntos internos do Irão e abandonassem a sua “atitude intimidatória.”

Nenhuma destas posições é nova. Significará isso que o mundo não deve esperar mudanças significativas no comportamento oficial do Irão após a vitória de Rohani?

Antes das eleições, a impressão geral era que o Líder Supremo do Irão, o Aiatola Ali Hosseini Khamenei, apoiaria Saeed Jalili ou Mohammad Baqer Qalibaf. Em anos recentes, Jalili foi o principal representante Iraniano nas negociações internacionais sobre o programa nuclear do país. Isso tornou-o o alvo principal das críticas de Rohani e de outro candidato, Ali Akbar Velayati, o conselheiro de Khamenei para os assuntos internacionais.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To read this article from our archive, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you are agreeing to our Terms and Conditions.

Log in

http://prosyn.org/qZX0gOJ/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.